Aracaju, SE 20/11/19
 

Nossa História
nova orla
points do turista
igrejas e museus
agenda
cultura
noticias
turismo
personalidade
artesanato
videos
galeria de fotos
culinária
passeios em sergipe
Sergipe
mapas
contato
 
Espaços Terapêuticos, Academias desportivas - Aracaju Sergipe
Auto-peças, Acessórios, Auto-escolas, Pneus, Oficinas e Serviços - Aracaju Sergipe
Bares, Lanchonetes, Boates - Aracaju Sergipe
Institutos de Beleza, Centro de Estética, Lojas de Cosméticos, Noivas - Aracaju Sergipe
Móveis, Decoração, Armários, Cozinhas, Quartos - Aracaju Sergipe
Docerias, Deli, Buffet Eventos e Festas, Padarias - Aracaju Sergipe
Delícias Regionais, Churrascaria, Cozinha Naturalista, Cozinha Oriental/Francesa/Italiana/Alemã - Aracaju Sergipe
Pizzarias, Lanchonetes - Aracaju Sergipe
Lanchonetes, Acarajés, Salgados
Pousadas, Motéis - Aracaju Sergipe
Hotéis, Resort's - Aracaju Sergipe
Farmácia & Drogria, Farmácias de Manipulação - Aracaju Sergipe
Lançamentos, Promoções - Aracaju Sergipe
Suprimentos, Recarga de cartuchos, Computadores, Assitência Técnica - Aracaju Sergipe
Empreendimentos - Aracaju Sergipe
Colégios, Cursos Profissionalizantes, Universidade, Faculdade, Escolas de Idiomas - Aracaju Sergipe
Clínicas Médicas, Hospitais, Oftalmologista, Ortopedista, Ondotologia, Dermatologia, Cirurgia Plástica - Aracaju Sergipe
Moda Jovem, Moda Praia, Moda Íntima, Calçados & Bolsas, Acessórios & Bijuterias, Presentes - Aracaju Sergipe
Lojas, Madereiras, Tintas - Aracaju Sergipe
Supermercados, Distribuidoras - Aracaju Sergipe
Agências, Receptivo, Operadoras - Aracaju Sergipe
TV, Rádio, Jornais, Revistas - Aracaju Sergipe
Lavandeiras, Escritórios de Contabilidade, Gráfica e Copiadora, Detetização, Seguradoras e Seguros, Taxi, Chaveiros, Telefones Úteis - Aracaju Sergipe
 

 
Personalidades
Visite Aracaju. Aqui você é mais Feliz!
João Ribeiro - Um sábio que completa 15I anos

Aracaju, 11 de Junho de 2014

Nascido do útero de Laranjeiras, no dia 24 de junho de 1860, João Ribeiro de Andrade Fernandes, conhecido em todo o Brasil como João Ribeiro, mestre da língua, da história e do folclore, foi um dos mais ilustres filhos de Sergipe, formando ao lado dos grandes como Tobias Barreto, Silvio Romero, Fausto Cardoso, Gumercindo Bessa, Felisbelo Freire, Laudelino Freire, Jackson de Figueiredo, Justiniano de Melo e Silva, Manoel Bonfim, e outros que elevaram a terra sergipana a ser reconhecida como “pátria de filósofos.” Sergipe foi, na segunda metade do século XIX, também, “pátria de poetas”, “pátria de juristas”, numa consagração que se fez o maior dos bens que a terra pode ter.

João Ribeiro não fez o caminho recifense dos demais, na sua formação de professor e de bacharel em Direito. Sua convivência maior foi com o Rio de Janeiro, bacharelando-se em 1894, na Faculdade Livre de Direito,onde Silvio Romero foi professor. Alternando atividades na cátedra  e nos jornais, João Ribeiro produziu uma vasta obra, que se tornou referência essencial aos estudos da história, da filologia e do folclore, sempre mantendo a categoria de mestre, que o tempo foi tornando sábio. Em 1895 foi para a Alemanha, estudando as novas teorias em discussão sobre o folclore. Iniciou uma série de publicações, em jornais, vulgarizando a ciência, que então mudava a compreensão do mundo e da vida. E com suas Cartas, mandadas da Alemanha, fez estudos de literatura comparada, lamentavelmente sem convertê-los em livro.

Sobre o Folclore, João Ribeiro deu um Curso na Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro, em 1913, dando suporte científico às pesquisas pioneiras de Silvio Romero e de outros coletores das coisas do povo. Valendo-se das teorias alemãs, do folclore étnico, fazendo a exegese dos autores solaristas, o curso dedo foi publicado nos Anais da BN e, em 1919, com alguns poucos acréscimos foi editado pela casa impressora de Jacinto Ribeiro dos Santos.

Mesmo vivendo 15 anos após a edição de O Folclore, João Ribeiro não conseguiu complementar seu texto, com anotações importantes, que ficaram de fora da edição de 1919. Somente em 1963, graças as iniciativas de Edson Carneiro, Joaquim Ribeiro (intelectual, filho e curador da obra de João Ribeiro, foi pensada a reedição, que esbarrou no patrulhamento feito pelos militares que tomaram o Poder. Anos depois, quando a Campanha de Defesa do Folclore Brasileiro era dirigida pelo diplomata e folclorista Renato Almeida, contando com a colaboração de Vicente Sales, o livro saiu, em co-edição com a Organização Simões Editora.

O Brasil das universidades e centros de pesquisas e estudos passou a contar com um livro bem ordenado e fundamentado, atualizado, e que servia de roteiro interpretativo da cultura popular brasileira, fundamental como estudo da psicologia coletiva. O Folclore de João Ribeiro é, hoje, um livro raro, inacessível ao grande público interessado, de todo o País. É importante registrar que Sergipe é berço de Silvio Romero, que iniciou as coletas folclóricas do Brasil, em parte interpretadas pelo sergipano João Ribeiro e,posteriormente, por Clodomir Silva, José Calasans, Mário Cabral, e mais recentemente, por Jackson da Silva Lima. No campo do estudo da língua portuguesa no Brasil, os lvros de João Ribeiro serviram de teoria aos cursos médios e universitários, e o mesmo se pode dizer dos estudos de história.

João Ribeiro escreveu, com seu patrício e amigo Silvio Romero, o Compêndio da História da Literatura Brasileira, editado em 1906, reeditado em 2001, pela Editora IMAGO, do Rio de Janeiro. A edição coincidiu com as homenagens prestadas a Romero, quando o Brasil celebrava os seus 150 anos de nascimento. O Sesquicentenário de João Ribeiro não teve, lamentavelmente, a repercussão merecida. Suas obras raream nos sebos, embora o saber que nelas circula é um doas capítulos mais relevantes da cultura brasileira. Dois eventos, talvez apenas estes – uma conferência no Palácio Museu Olimpio Campos e um Seminário na UNIT, bem coordenado pelo professor Antonio Bitencourt – “salvaram a Pátria”, rompendo com o silêncio constrangedor da indiferença.

Sábio, autor de grande obra, João Ribeiro tem um enorme crédito em Sergipe e precisa ser quitado, principalmente junto a massa estudantil, onde sua magnífica obra é referência sem precedentes na cultura brasileira.

Fonte: fontesdahistoriadesergipe.blogspot.com.br



:: VEJA TAMBÉM
Augusto do Prado Franco
Hermes Fontes
João Ribeiro - Um sábio que completa 15I anos
Jackson Barreto
Centenário de Costa Pinto.
Associação Sergipana de Imprensa comemora 80 anos
Luiz Antônio Barreto
Dominguinhos e sua tragetória de sucesso
Jouberto Uchôa de Mendonça, reitor da Universidade Tiradentes, é o mais novo imortal da Academia Sergipana de Letras.
O ex-governador Lourival Baptista deixa saudades
Prefeito pretigia posse da nova Mesa Diretora da AL
Bloco Carnavalesco Siri na Lata
Empresária Maria Celi Barreto
Conselho Estadual de Cultura celebra 45 anos
Sergipana com necessidade especial é exemplo ao prestar Enem
Homenagem ao centenário de José Rollemberg Leite
100 anos de Drº Augusto do Prado Franco
História Cangaceira
Artur Oscar de Oliveira Déda lança livro de crônicas
Bonifácio Fortes
Dom Távora - O bispo dos operários
Jornalista Cleomar Brandi é homenageado
Quem foi o Dr. Augusto César Leite?
Homenagem ao Professor Sebastião
Mendonça se reúne com representante da ONU
Dilma Rousseff é recepcionada no aeroporto de Aracaju
Governador Marcelo Déda é homenageado.
Lançamento do livro Retratos do Brasil profundo
Sergipana lança livro em Itabaiana
Homenagem a Luiz Carlos Reis
Antonio Maia - Arte e alma de Sergipe
Paulo Barreto de Menezes
Jota Soares, um sergipano no cinema
Entrevista com Rogério
Acrísio Cruz
Joel Silveira
50 anos da Empresa Senhor do Bomfim
Carlos Augusto Monteiro: o novo presidente da OAB.
Maria Thetis Nunes fez história na cultura sergipana
Entrevista com João Carlos Paes Mendonça
Carlos Ayres Britto
Medalhas do Mérito Aperipê e Cultural
Sergival
Srs. Newton e Miguel Gonçalves
José Augusto (São Lucas) Barreto
Ofenísia Soares Freire
Fausto Cardoso
J. Inácio
Zé Peixe
Ismar Barreto